Arquivo para outubro 2010

Esporte Solidário

Evento “Esporte Solidário” – 05/11, 6.a f, das 19h às 21h, no Band

imagem-solidario-283x300É o Bandeirantes mais uma vez sendo essencial em nosso projeto e nos ajudando a construir nossa história. Obrigada a todos, em especial ao Departamento de Educação Física que está organizando o evento.

Mas do que se trata? Até ano passado, esse evento, que se chamava “Basquete Solidário”, era feito em prol da Casa Hope. Agora o nome foi mudado para “Esporte Solidário” e será em prol da VIDAS. Toda a escola (alunos e pais) serão convidados e, lógico, todos aqueles que apóiam nosso projeto.

E o que ocorrerá nesse dia:

– apresentação de handebol do time do Pinheiros
– atividade de interação entre os atletas do Pinheiros e nossas crianças (tipo corrida de cadeira de rodas – com os atletas em cadeiras – arremesso a gol…)
– entrega do que foi arrecadado pelos atletas do Band e que será doado a nós (fiz uma lista de materiais que estamos precisando)
– apresentação de um vídeo com nossas atividades (para quem nunca veio de sábado saber o que fazemos)
– entrega da cadeira de rodas a uma pessoa carente (já temos as 120 garrafas pet da Campanha dos Anéis de Latinha – http://www.vidas.org.br/blog/?p=377)
– homenagem aos atletas do 3.o ano do Band
– homenagem aos nossos alunos-voluntários que foram destaque ao longo do ano
– venda de camisetas da VIDAS

Minha grande preocupação: será que cabe no ginásio do Band tanto carinho, amor, solidariedade, respeito…..Acho que cabe sim, a gente dá um jeito!!!

Compareça!! Vamos adorar dividir com vocês esse momento tão importante pra nós!!!

Equipe VIDAS

Colégio Bandeirantes
Rua Estela, 268, a 2 quadras do Metrô Paraíso

PS – fica aqui um agradecimento imenso aos alunos do Band, grandes responsáveis pelas 120 garrafas pet, e um agradecimento ao carinho dos alunos do projeto do Governo da teacher Claudia – SKILL Itaim Paulista!

Atividades do dia 16 de outubro ****

Sábado foi um dia muito especial pra nós. Mas cheguei a pensar que o dia ia ser bem micado. Explico: havia feito vários contatos para trazer alguma atração para os participantes já que no dia 162010=10-16 (13) faríamos a comemoração do “Dia das Crianças”, mas não tinha tido grande retorno. Até 6.a feira de manhã, eu não tinha nada confirmado e, confesso, havia desistido. Mas nada como uma grande amiga pra nos dar força: a já anteriormente citada em outros textos do blog, minha querida Sandra Braid, disse que ia me ajudar, ia arrumar alguém. E de fato arrumou e patrocinou uma oficina de “contação e cantação de histórias” com Gesiel de Oliveira – gesiel_magrao@pop.com.br – 9473.7696 (brigadinha, Braid, de coração, em nome das crianças e mães que adoraram o show).

2010=10-16 (17)

E como a lei de Murphy nunca falha, bastou eu desligar o telefone com o Gesiel para receber a confirmação que a ONG AMEM (www.amemcrianca.org.br) e a Fragmentos Produções (www.ciafragmentos.com.br), por meio do querido Dalton Penezzi,  ia nos presentear com um pocket show apresentado por Roberto Bacchi….e as crianças também amaram.

E no sábado de manhã, um velho conhecido da família Goloni, cujo talento2010=10-16 (36) – e beleza, diga-se de passagem, né mulherada, com todo respeito – eu desconhecia, que havia anteriormente me dito que não conseguiria se apresentar para nós, me ligou dizendo que daria uma passada. E a tal “passada” fechou com chave de ouro nossa tarde. O Felipe Montanari (www.felipemontanari.com.br) teve que parar o show na metade por causa do ATENDE, mas deixou aquele delicioso gostinho de quero mais. E teremos mais sim!!

Todos passamos a tarde toda rindo, e presente melhor que esse não há, para crianças de qualquer idade (e as nossas iam de 5 a 77 anos…o de 77, meu querido paizinho, talvez o mais criança de todos, foi um dos que mais riu).

Mas teve mais: comemoração dos aniversários do mês, incluindo o meu que foi dia 13 de outubro: ganhei festa surpresa (que eu amei e pude sentir no ar o enorme carinho das mães durante a preparação de tudo), vídeo-retrospectiva e uma caixa gigante cheia de produtos “O Boticário”. Gente, eu tô tão cheirosa…….

Mas o que eu ganhei mesmo foi a alegria de estar passando por um dos melhores momentos da minha vida, talvez o mais tumultuado, mas o mais feliz (mesmo sob bronca séria, com ameaça de castigo da minha mãe, vou repetir aqui o que disse ao fim da vídeo-retrospectiva: ao ver fotos dos últimos 42 anos da minha vida, disse que, conforme todos haviam visto pelas fotos do “meu passado”, eu antes era bonita, magra e não totalmente feliz. Mas hoje, sou inteiramente feliz – pra não provocar minha querida mãezinha, não vou falar o resto do que eu disse porque ficou óbvio, né – só mãe mesmo pra achar a gente linda sempre – que bom que elas existem né!!!????).

As mães da ONG vivem me agradecendo tudo o que faço, mal sabem elas que quem está ganhando sou eu. Elas (e seus filhos) me fazem bem, me alegram, me tornaram uma pessoa melhor, trocaram minhas lágrimas de desespero de 2009 (muitas!!!!!)  por lágrimas de alegria em 2010 (muitas!!!!!). Então, quem agradece sou eu!!! OBRIGADA, com todo o meu coração e carinho!!!

Para ver as fotos do dia 16, clique aqui.

No sábado, dia 23, nossas atividades foram no Colégio Maria Imaculada, que, assim como o Band, gentilmente cedeu seu espaço para nossas atividades. Assim, quando não pudermos estar no Band (quando o ginásio estiver sendo usado), estaremos no Maria Imaculada. Para acompanhar nossa programação, basta clicar em “agenda” aqui no nosso site. Para ver fotos do dia 23, clique aqui

(****Explicação: esse post é relativo ao dia 16 de outubro e quero explicar porque só estou publicando agora. Bem, além da TPM mensal, tenho 2 outros momentos, quase que todo mês, que me deixam fora do ar, como se minha vida parasse e eu ficasse de fora vendo tudo acontecer mas não podendo fazer nada: preparação e correção de provas. Assim como na TPM, fico tremendamente irritada e ansiosa (mais!!!!), querendo gritar “pare o mundo que eu quero descer”, por favor não falem comigo, não me peçam nada, me deixem sozinha até eu terminar tudo. Essas provas me afastam até do meu companheiro diário, meu querido laptop – só encosto nele pra fazer prova, Internet só o mega necessário. Não que eu tenha acabado, das 3 provas que tenho que fazer já fiz 2, tinha que ter entregue a 3.a, que nem comecei, hoje, mas resolvi me dar uma curta folguinha e escrever o post. Já acabei, continuo fora do ar mais uns 2 dias. Bye!!!)

Palavra de professor: escolas da zona sul de São Paulo

Escolas no topo do ranking da região apostam em métodos diferentes de ensino

estadao

Móbile: contra o senso comum

O principal diferencial da Escola Móbile, segundo o professor de estudos literários e coordenador de Humanas, Wilton Ormundo, é a ênfase na formação cultural. Ele conta que o Móbile estimula o interesse pela cultura durante as aulas e no cotidiano dos alunos, fora das salas. Um exemplo é o cinema. “Achamos importante essa questão e pensamos no que podemos fazer para nosso estudante entender e valorizar mais essa arte.” Wilton diz que fica com a sensação de dever cumprido ao encontrar ex-alunos em peças de teatro ou lançamentos de livros. “É bom ver que viraram pessoas autônomas, que sabem escolher os melhores produtos culturais da cidade, fugindo do senso comum.”

Bandeirantes: foco na performance

O Bandeirantes é competitivo e a professora de inglês Patrícia Lolo, de 42 anos, tem orgulho disso. “É um aspecto que nos destaca. Os alunos que saem daqui acham tudo na vida fácil, não se desesperam com cobranças no trabalho”, diz. “Olhamos os adolescentes e pensamos em quem eles vão ser depois que saírem daqui. Isso nos motiva.” Apesar de ser rígido, o colégio se preocupa bastante com o bem-estar dos alunos e professores, conta Patrícia. Um exemplo foi quando aceitou virar sede da ONG para crianças e adolescentes com deficiência criada pela professora. “Fiz a proposta porque meu filho de 9 anos é deficiente. Eles aceitaram e percebi que, para a escola, não sou só uma profissional.”

Etapa: valorizando a prata da casa

Muitos alunos do Etapa retornam à escola como professores. Simone Ferreira Gonçalves Motta, de 43, dá aulas de gramática e redação no colégio há mais de 20 anos. No final dos anos 80, teve oportunidade de fazer cursinho no Etapa e se destacou. Assim que passou em Letras na USP, foi chamada pelo colégio para trabalhar. “O Etapa tem uma política de aproveitar o potencial das pessoas de dentro. Como eu havia acabado de entrar na universidade, não podia dar aulas. Comecei como atendente e, assim que me formei, a sala de aula já esperava por mim.” Outros professores do colégio foram alunos de Simone. “São meus colegas, mas me chamam de professora até hoje”, conta, orgulhosa.

Maria Imaculada: além do vestibular

O Colégio Maria Imaculada segue os preceitos de madre Carmen Sallés, religiosa espanhola morta em 1911, que pregava uma educação preventiva para evitar os erros que pudessem ser cometidos pelos alunos, como o envolvimento com as drogas. Fruto disso é uma educação personalizada, que a professora de história e sociologia da escola Fabiana Scoleso elogia e segue. “O nosso objetivo é formar o aluno na sua totalidade e não alguém que vai só prestar vestibular. Devemos entender o jovem como cidadão, filho, aluno e estudante. Eu mesma me preocupo em educar jovens com condições de responder não só ao mercado de trabalho, mas às questões éticas do dia a dia”, define.