Depoimentos

Clique aqui para dar seu depoimento.

Conheci a ONG VIDAS através de um recado no facebook , me convidando para ser voluntária .Eu tinha começado a cursar faculdade de fisioterapia e achei uma ótima oportunidade para ter contato com as crianças .Confesso que no primeiro dia fiquei um pouco assustada pois nunca tinha tido contato com criancas com deficiência . Mais de cara me apaixonei , o carinho que elas nos oferece é inexplicável .Mesmo depois de uma semana cansativa o sorriso delas nos enche de alegria . Me chamaram até de louca por acordar cedo em pleno sábado pra fazer trabalho voluntário , trabalhar de graça .. Mal sabem o tanto que ganhamos com isso , cada experiência , cada abraço , carinho , sorriso , os amigos que construímos , e o quanto crescemos, amadurecemos e aprendemos com cada criança . Paramos de olhar para o sábado de manhã e começamos a olhar o nosso sábado de manhã na ONG VIDAS ! Hoje eu sei que eles precisam de mim, e eu muito mais deles ! Amanda Lima (Voluntária)

A VIDAS entrou na minha vida de uma forma não planejada, uma amiga me contou que participava de uma ONG e me convidou para visitar um dia. Depois de alguns desencontros eu finalmente aceitei o convite. Meu primeiro dia em contato com as crianças foi simplesmente maravilhoso, ver o tratamento da equipe, a humanização que ocorre é sem igual, e logo de cara me identifiquei muito com o trabalho e já me apaixonei por tudo. E ao longo das sema nas eu sempre ouvia alguém dizer: “Você está ajudando a mudar muitas vidas com a sua participação”, mas o que realmente aconteceu foi que cada uma dessas crianças mudaram a minha vida em muitos aspetos, me fizeram encontrar novas perpectivas, me ajudaram a crescer, a lutar, a me engajar muito mais. Vendo a dedicação de cada colaborador que é dada ao projeto eu fui incentivada a me responsabilizar ainda mais, persistir ainda mais, porque eu sabia que talvez eles não precisassem de mim, mas eu precisava deles, pois se tornou parte da minha vida, o dia que era especialmente da VIDAS e criei essa preocupação de cumprir com o que foi combinado. Por isso, eu só tenho a agradecer aq VIDAS pela oportunidade de poder participar, à equipe que me acolheu tão, às crianças que tem prazer em estar ali e que sentem todo o cuidado que é passado à elas. e também só tenho elogios a fazer pelo projeto, pelo trabalho e pelos resultados. Por mais que as circunstâncias possam nos levar tão longe, a VIDAS sempre irá ocupar um espaço primordial e exclusivo no meu coração e sempre faltarão palavras para agradecer.  Julia Oliveira (voluntária)

Bom, tudo começou com um lacre de alumínio de lata de cerveja, refrigerante, suco, etc…
Comecei as minhas atividades como voluntário na ONG VIDAS por volta do mês de Abril/2011 e confesso que fiquei um pouco impressionado com algumas crianças e no início fui bem seletivo, me aproximando e interagindo com uma ou outra criança com menor dificuldade, mas hoje já superei essa fase e acreditem se quiser, consigo lidar com todas as crianças, como se elas não tivessem deficiência alguma. Nos últimos 2 meses, venho me dedicando mais às mães das crianças, pois estamos criando peças de artesanato para o bazar virtual da ONG VIDAS. Estou repassando um pouco do meu veio artítisco em Decupagem para as mães e esta sendo muito divertido e gratificante. Estamos ansiosos para terminar algumas peças, fotografá-las e divulgar no site, o primeiro bazar virtual da VIDAS. Estou recebendo muito mais que estou doando e o tempo passa muito rápido, quando fazemos o que gostamos e para um objetivo comum. – Machado (IBM)

“Conheci a vidas através de uma amiga, a partir daí comecei a conhecer pessoas incrivelmente “MARAVILHOSAS” a Patricia é uma pessoa dedicada, preocupada com todos, os pais dela não existem igual, acho que é o casal mais perfeito que já conheci. Participar da Vidas é uma oportunidade única, além de proporcionar momentos de diversão para os nossos filhos, nos ajudam muito nos fazendo esquecer mesmo que por algumas horas, todos os problemas e preconceitos que enfrentamos todos os dias.
As vezes me pergunto,como pessoas dedicam seu sábado a pessoas deficiêntes e carentes, mas sempre que olho para a Patricia e sua família vejo como Deus é bom e que aida existem pessoas maravilhosas e que gostam de ajudar o próximo. As vezes saio de casa tão triste pensando nas dificuldades do dia a dia, mas quando chego no Band para participar da Vidas, me sinto em casa e esqueço de tudo que me deixa triste, quando vejo a Kelly brincando a vontade sem olhares preconceituosos, me sinto muito feliz.
Então a única coisa que posso fazer é dizer “MUITO OBRIGADA PATRÍCIA” que Deus ilumine você e sua família cada vez mais. E sei que você nunca vai mudar esse seu jeito de ser, por que o amor que você tem por todos nós vem de dentro, do fundo do seu coração. Beijos te adoro!!!!!!! obrigada a todos os professores,voluntários e alunos do Band,todos vocês tornam o nosso sábado muito mais FELIZ!!!! – Luciene, mãe da participante Kelly Vitória Pereira da Silva

“Me sinto muito feliz no dia que vou no VIDAS, uma paz de espírito que ñ sei explicar… Amanda é uma criança nervosa e quando vamos ai ela muda totalmente, pena que só podemos ir de 15 em 15 dias devido a meu trabalho.Tem mães que conheço que mudaram muito depois que vai ai e mudou pra melhor. Um grande beijo – Railda, mãe da participante Amanda Santos Ribeiro

“Este projeto é uma dádiva de DEUS, que iluminou a Patricia a criar, com ele as mães trocam experiencia e conversamos de igual para igual. obrigada Patricia…….” – Rosa, mãe do participante Deivid de Melo Gonçalves

“Esse trabalho me trouxe um equilíbrio interior: agora eu tenho um momento para mim, fico em paz, eu sou importante. Eu nunca tenho um momento pra mim, a Giulia toma todo o meu dia. E esse trabalho também me traz confiança: eu sei que minha filha está com a cuidadora dela e eu confio. Eu queira alguma coisa exatamente assim: um lugar para minha filha brincar e se descontrair, um lugar no qual eu acredito.” – Vera, mãe da participante Giulia Fialho Macedo

“A ong VIDAS tem a coragem de sonhar e ousar para caminhos novos, que resulta de uma ação de escuta e  de compromisso com aqueles e aquelas que partilham  a  missão de ser mãe de um deficiente. Nós, mães de filhos com necessidades especiais, entendemos que essa é uma ação conjunta; é um fazer juntos em que todos se comprometem (…) um caminhar que é feito a cada passo. Imprimindo uma nova marca e um novo horizonte, esse projeto é  integrado e integrador em suas concepções e ações, e vejo ter como valores fundamentais a comunhão, a unidade, o cuidado, a ternura, a compaixão, a autonomia, a libertação e a participação responsável. Com essas atitudes estamos esperançosos; partindo essa “ideia” de uma, também, mãe de filho com necessidade especial, de ter uma abençoada oportunidade de interação social para nossos filhos.” – Maria José, mãe de Raphael Prado Santiago

“Adoramos! Sentíamos falta de algo assim para nossas crianças. Nunca achamos nada parecido. Algo com continuidade.” – Marinalva, mãe de Thales de Macedo

“O Pedro está gostando. Eu estou adorando. Se vocês continuarem nessa linha, com esse amor, carinho e dedicação, vocês vão longe.” – Luciana, mãe de Pedro Henrique Hamamoto Brandão

“Gostei muito da experiência, uma vez que acompanhei realidades diferentes da minha. Percebi muitas dificuldades para os deficientes, o que para mim era normal. Quando saí da ong, senti uma paz de espírito muito grande. Certamente voltarei mais vezes.” – Paula Soares, aluna do 1.o ano do EM do Colégio Bandeirantes

“Na ong VIDAS, os beneficiados não são apenas as crianças, cada voluntário aprende e se diverte muito” – Elis Molina Jazzar, aluna do 1.o ano do EM

“É um orgulho participar da ong VIDAS, pois ela proporciona a oportunidade para que as crianças com deficiências físicas possam praticar esportes e se divertir.” – Lisa Muramoto, aluna do 1.o ano do EM

“Através do projeto VIDAS estou conhecendo e aprendendo a lidar com crianças e adolescentes que portam deficiências e possuem dificuldades com as quais não estou acostumada. Mas, apesar disso, estas pessoas devem ser tratadas e estimuladas como todas as outras. Cada vez mais percebo que muitas vezes acreditamos ter um problema de grande seriedade, entretanto há pessoas enfrentando, com muita coragem e determinação, situações muito mais complexas.” – Beatrice Santos Enger, aluna do 2.o ano do EM

“VIDAS é uma instituição onde não só os deficientes físicos, como também suas famílias são beneficiados por meio de atividades que fazem todos sentirem-se incluídos na sociedade. Alem desses dois alvos atingidos há um terceiro, os voluntários, que por meio do trabalho, sentem-se conectados à realidade/situação de pessoas desabilitadas, o que faz eles se desapegarem, ou pelo menos, desligarem-se do mundo materialista tão intrínseco nas pessoas. É o lugar que surgiu a partir da mobilização de uma pessoa, e está tomando dimensões cada vez maiores, mostrando como a esperança, e o trabalho árduo podem realmente melhorar a situação atual. É com muito orgulho que eu digo que faço parte da VIDAS” – Paula Park, aluna do 3.o ano do EM